Marília Viegas

O desafio da gravura

Marília Viegas nasceu em Faro, 1941. É licenciada pela ESBAL, onde exerce o professorado desde 1972. Em 1973 inicia investigação nas técnicas de gravura na Galeria Diferença. Participa em exposições internacionais de gravura e bienais desde os finais de 70 e realiza individuais desde 1964.* Para além da gravura trabalha igualmente na área de pintura.

Esta exposição comemora precisamente 20 anos de actividade na Diferença na área de gravura, e o conjunto de 12 gravuras de formato acima da média exploram em técnica mista, elementos arquitectónicos e de paisagem. As obras de Marília Viegas caracterizam-se pela fragmentação da imagem que pode integrar fachadas arquitectónicas classicistas, ou arcadas, articulando-se esse espaço com negativos da mesma imagem, ou elementos de outras arquitecturas. O valor da mancha é relevante, e nas imagens onde é trabalhada a paisagem de vales e montanhas rasuradas pelo buril reencontra-se uma ligação forte à pintura de 80.

Utilizando cores surdas, sépias, cinzas e verdes caminhando para os negros, a gravura de Marília Viegas assinala uma investigação coerente, e onde os processos de reprodução são muito cuidados.

* (1° prémio de Gravura no V Prémio de Grabado "Máximo Ramos", Espanha, 1987; Prémio Câmara Municipal da Amadora, na II Bienal de Gravura, Amadora, 1990)

(Galeria Diferença, até 31 de Julho)

Cristina Azevedo Tavares

Jornal de Letras, 13 de Julho de 1993